"Marcio é maravilhoso

Marcio é divino

Marcio é moço fino

Rufino é homem com olhar de menino

Marcio é decidido

Marcio é mestre, brilha no ensino

Marcio é guerreiro...

E nesse Emaranhado Rufiniano, quero me emaranhar."

(Camila Senna)















domingo, 11 de julho de 2010

O Amor Anormal


Sentir o proibido não é nada
Pior é aceitar o proibido
Num rumo qualquer de estrada
Ou na dolorosa manha da libido.

O outro não quer minha atormentada insônia
Muito menos que eu mude meu misterioso hábito
Só quer sentir o sufoco e o cheiro de sua agonia
Dentro do denso aroma que sai de dentro do meu hálito.

Não é nada atender o desejo do outro
Pior é fazer com que esse desejo seja também seu
E ver dentro da lama do outro o ouro
Acreditando que o calvário é um doce himeneu.

Entregar-se à perversão passiva
É muito difícil como cômoda intolerância
Que revertida em condição da vida
Brota em nosso peito uma vacância.

Da janela da minha casa
O vento me beija numa linha retílinia
Mas vejam: estou sem graça.
Lembrei-me que esta casa não é minha.

Olhe só toda a beleza
Que a morte desta tarde nos oferece
E preste atenção em toda destreza
De me encantar com seus olhos de quem não me conhece.

O futuro me assusta muito
Com a ajuda do tempo me agride
Com ameaças de sérios infortúnios
Onde o chão sob meus pés resiste.

O outro também quer me dominar
Como o futuro e o tempo ele também é assim
Com frieza e crueldade quer me usar
Sem saber que também será vilipendiado por mim.

Com seu cinismo ele comanda a brisa louca
Transforma nosso encontro num fato casual
Ele quer sentir o odor de seu sêmen em minha boca
Mas isso são sonhos imundos que povoam minha cama de casal.

Em seu feitiço ele busca uma corda de banjo
Em seu silêncio ele busca um bocal de clarineta
Pares de asas vermelhas de anjo
Pares de chifres brancos de capeta.

O outro sou eu num idílio híbrido
o outro somos nós num dilacerado momento.
Que desenha o amor anormal e ilícito
Num papel invisível rasgado pelo vento.

Esse amor que por se ousar existir
Subvive a margem do planeta
Prestes a se deixar cair
E ser amparado por um rabo de cometa.

Não sei o porquê de todo esse desprezo
Se tudo que aí está é amor
Queria falar de todo o meu desejo
Sem causar deboche nem horror.

Pois o outro me reconhece como um mero conhecido
Me cumprimenta como um qualquer que por acaso me vê
Conversa comigo como um velho e intímo amigo
E pede meus carinhos com a carência e dengo de um bebê.

Dedico esse texto a memória de Clarice
E continuo sufocando a minha agressividade
Pois a anormalidade me disse
Que o amor e a arte é que salvarão a humanidade.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

8 comentários:

Claudio Marcondes disse...

Olha ai eu visitando. um grande abraço e agora tenho um outro blog
http://observadorismo.blogspot.com

Papéis ONline disse...

Oiew Selecionamos e publicamos um poema seu no Papéis ^^ confira lá como fazer para ter ele publicado no impresso, ná página Seletiva

Claudio Marcondes disse...

O Rufinos, obrigado pela força. Mas a intenção é escrever pouco mesmo, rsrsrsrsr. Mas aos poucos vai aprecendo. abraço tudo de bom e dia 30 tem mais cidade aTravessa.

Arnoldo Pimentel disse...

Tem um selo pra você no meu blog
http://palavrasnosventos.blogspot.com
está logo abaixo da poesia versos e reversos do Vinícius, entre as regras está ler e comentar a poesia, abraços

Sergio-SalleS-oigerS disse...

O amor é anormal.

Silviah Carvalho disse...

Márcio,
Que força tem sua poesia! você deixou escapar um pouco de tristeza, mas há beleza na tristeza, e como há!
O amor é sofredor por isso suas conquistas tem tanto valor.
Fiquei muito feliz e honrada com sua visita e comentário, sou sua seguidora e admiradora de seu talento.
bjs, fica com Deus e volte sempre.

POEMAS TECIDOS disse...

Por toda sua poesia que tem força e nos fala alto, sereu sua seguidora. Por favor, não fique zangado comigo. Quero que seja meu amigo. Não me julgue, por alguns momentos. Tenho um coração ultra-sensível. Uma manteiga derretida.

Um forte abraço.

Jorge Medeiros disse...

Olá, legal seu blog, eu como sempre com certa morosidade para comentários; mas é assimmesmo. Grande beijo e parabéns!