"Marcio é maravilhoso

Marcio é divino

Marcio é moço fino

Rufino é homem com olhar de menino

Marcio é decidido

Marcio é mestre, brilha no ensino

Marcio é guerreiro...

E nesse Emaranhado Rufiniano, quero me emaranhar."

(Camila Senna)















quarta-feira, 1 de junho de 2011

Quarto Azul


Em câmera lenta
subo a pequena escada
chego ao corredor estreito
de onde avisto uma intrigante
porta encostada.

Numa triste submissão
a uma força superior
caminho sem pensar em nada
em direção à porta encostada.

Porta feita de madeira marrom.
Marrom que lembra minha infância.
Não sei se querida.
Não sei se partida.
Não sei se perdida.

Empurro a porta.
Vejo um quarto.
O quarto é azul.
Um azul de vários azuis.

Azul-céu.
Azul-mar.
Azul-noite.
Azul-piscina.

Dentro do quarto
há uma cama.
Sobre a cama
há uma pessoa nua.
Por cima da pessoa
havia várias moscas a voarem.
Não sei se desnorteadas.
Não sei se mal-amadas.

Sentei do lado da pessoa nua
e ela me falou de coisas
que pensou, que falou,
que comeu, que bebeu,
que desejou, que amou.

E sem saber ela me conduziu a planetas desconhecidos,
me apresentou a seres bizarros,
me fez cheirar aromas finos,
provar pratos requintados.

Foi quando notei que eu também estava nú.
E que as moscas haviam se transformado em estrelas
que cairam exaustas no chão.

E a cama já não era mais cama.
Mas um pequeno barco a vela.
Vela que era pura seda,
puxada a vento que não existia.

E o quarto virava pura água.
Não sei se de mar, ou de rio.
Só sei que virou o barco,
nos fazendo nadar.

Nada
era eu
Paralisado diante daqueles acontecimentos.

E o que eu vivia se tornava puro sonho.
O que eu sentia se transformava em raiva.
Raiva que até hoje não passa
por eu ter conseguido me salvar daquele doce naufrágio.
Naufrágio que me fez esquecer o quanto eu sou real.

Mas tudo foi extinto como um vulcão.
E minha amada pessoa nua
agora era um personagem de ficção.
E meu saudoso quarto azul
um delírio de um jovem garotão.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

8 comentários:

DÉIA disse...

Já estou te seguindo amigo e obrigado por me seguir...Bjus

Graça Carpes disse...

Poesia e Teatro... É uma grande somatória. Mais a história...
É um prazer imenso. Manteremos contato, aqui e no teatro.
Carinho ;)

otilia cristina disse...

NOSSA QUE LINDO SONHO REAL..

COMEÇOU EM UM QUARTO SE MUDOU PARA O MAR.. AZUL COR DO CÉU NÉ?CÉU DE ONDE VEM NOSSOS SONHOS E NOSSOS CAMINHOS, JA DESENHADOS POR DEUS!!ADOREI AS FOTOS DOS ARTISTAS, ALIÁS ADORO TEATRO QUANDO MENINA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO INTERIOR DE SP..FIZ MUITO TEATRO..ESCREVIA,DIRIGIA,INTERPRETAVA..DEPOIS O TEMPO PASSA AS ESTAÇÕES MUDAM E A GENTE SAI DA ROTA DOS SONHOS E VIVE OUTROS SONHOS NÃO É?MAS QUANDO ELES ESTÃO NA ESSÊNCIA ELES VOLTAM FIQUEI FELIZ AO VER AS FOTOS DO GRUPO DE TEATRO..MUITO LEGAL..DEVE SER MAGICO VIVER A VIDA NOS PALCOS ASSIM DE ALMA E CORAÇÃO COMO TODOS GRUPOS BRASILEIROS FAZEM POR TÃO POUCO INCENTIVO QUE ELES RECEBEM NÉ?MAS OLHA PARABENS PELO SEU BLOG..LUGAR BONITO DE SE VER

BOM DIA

OTILIA LINS

Elen Abreu disse...

Oi amigo
É um prazer te-lo em meu blog *-*.
Excelente poesia,está de parabéns o blog!
Fica com Deus...
Beijos

*Simone Poesias* disse...

Oi Márcio, não precisa agradecer, o poema realmente é lindo e este também é maravilhoso. Escreves com muita sensibilidade, parabéns!
Gostei muito do seu blog, estou seguindo ;)

Volte sempre!!

Bjinhoss

*Simone*

MARILENE disse...

Fiquei encantada com seu poema. Para o jovem, uma lembrança a carregar por toda a vida, sem ser fardo. Bela, ao se olhar para trás. Na realidade, talvez nem tanto. Mas que importa?

Roberta Burlamaque disse...

Fala poeta!!!
Gostei muito de ver na sua lista de filmes prediletos "O Pássaro Azul". Numas de minhas viagens interiores, foi preciso estudar o inconsciente coletivo do pássaro, então vi o filme numa versão dos anos 60 se não me engano, apesar de adulta, vi com olhar de criança... encantador.
Até o próximo encontro da Rede!

Chiquinha Menduina disse...

Querido poeta, seu canto ...lindo é com um raio de sol... adorei... beijos
obrigada pela visita.

Menduina